Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Blog Bestialmente Conhecido

Caro Universo (ou entidade delegada para o tratamento da vida quotidiana dos pobres terrestes)

Screenshot_2018-05-18-07-05-18-1.png

 

Venho por este meio tirar algumas satisfações gastronómicas com vossemecê. O planeta terra, e muito em especifico o piqueno retângulo à beira mar plantado aqui na Europa, tem um vasto leque de matérias degustáveis que eu e a maioria dos meus conterrâneos terrestres apreciamos, falo de um bom cozido à Portuguesa, de Cachupa (que não é de origem mas agente tamém gosta), de Leitão da Bairrada (com molho é claro!), de batatinhas fritas com molho do Bife da Portugália; falo de chanfana, de um bitoque, de uma francesinha (não a gaja, mas o amontoado de carnes, pão e molhanga que se come no Porto); falo de bifinhos com cogumelos, de frango assado no churrasco, o qual sem ser acompanhado de batatinha estaladiça não sabe ao mesmo; falo de um belo hambúrguer em bolo do caco barrado com manteiga de alho,; falo de pizza extra queijo. Hummm, tás a ver do que falo. Se fores mais para o guloso, meu caro Universo (ai como te compreendo!), falo de uma boa mousse de chocolate, de um palmier duplo com creme de manteiga, de palmier coberto, de palmier simples (pronto!), de um belo de um pastel de Belém, de um croissant do careca; falo de um travesseiro de noiva, de uns ovos moles, de umas natas do céu; atrevo-me a lançar um bolo de bolacha, um croissant de chocolate e até, em determinados momentos da vida, bolo de aniversário desde que coberto de massa de açúcar.

Estamos alinhados sobre o tema para falar? Hummm. Estamos?

Ainda bem.

Ambos concordamos que estas delicias devem ser degustadas, certo? Exato.

 

Mas se assim é, porque carga de água é que todas elas fazem mal? Porque raio de cosmos é que têm tanta caloria? Aliás, porque raio é que a caloria engorda? Podia dar-se o caso de terem imeeeeeensas calorias, mas depois a caloria ser uma coisa que não acresce à nádega de uma pessoa, que não causa entrave ao nível da cintura, dando aquele volume indesejado e que obriga à aquisição de fatos de banho slim. Que é o mesmo que dizer “fatos de banho que empurram as tripas para dentro a ver se a cintura, não podendo parecer de vespa, também não se compara à de uma hipopotama”.

 

Porque raio de ideia é que se cria todo um mundo pornográfico de prazer culinário e depois a pessoa tem de escolher entre as calças da Zara e o bola de Berlim? É que uma pessoa está espojada na areia, malha forte a Bola de Berlin e depois, culpada, sente-se tentada a ir nadar 10 km bruços mesmo com a bandeira vermelha, sujeita a ficar-se ali perto das rochas. Ao menos boia melhor, com o pneu em torno da cintura.

 

Universo, a cintura de uma pessoa está dependente de talos de aipo, rodelas de cenoura, sopa sem batata, carnes grelhadas e peixe no forno com menos de colher e meia de azeite. As nádegas têm de se tornar submissas a uma ditadura de courgette e beringela salteadas. Quem sabe, na loucura, uns rebentos de soja. Resignadas à contagem de peças de fruta para que não excedam a unidade.

 

Porque raio não se troca esta tendência? Que sejam as courgettes do mal. Que se condenem as cenouras e as alfaces. Que se excomunguem as beringelas.

 

Universo, vamos dizer sim ao pastel de nata e não aos frutos secos.

 

Pensa nisso Universo, o mundo seria mais perfeito. Estou certa disso.

 

Assinado:

Pessoa desesperadamente necessitada de um croissant de chocolate, daqueles que depois de darmos uma dentada escorre chocolate derretido por todo o lado. Tudo cagado. Quase pornográfico. Não fosse a realidade revestir-se de talos de aipo.