Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Blog Bestialmente Conhecido

Caros automobilistas,

Gostaria de, nesta bela manhã de segunda-feira, usar a presente missiva para vos deixar algumas notas breves quanto a vossa condução merdosa:

 

1. As estradas não são pistas de kart. Quando de bate não se segue logo que se recomponha o condutor. Se a curva for mal feita não há fardos de palha para acomodar o estatelamento. É preciso chamar a bófia e assinar declarações. Identificar o culpado e, até que fique concluído esse processo, já se estragou a vida de quem quer ir trabalhar.

 

2. De manhã toda a gente tem pressa de chegar ao trabalho. Não falo de vontade, é pressa. Todos queremos chegar o quanto anos, para, se possível, sair o quanto antes. Ou, pelo menos não chegar tarde ficando com o chefe ou a chefa a olhar para nós de esguelha e com tempo para compensar ao final do dia, quando o que queríamos era já ter o dia terminado. O trabalho de todos é importante. O seu, querido condutor idiota, não é melhor que o meu.

Quando se metem a fazer ratadas, a ultrapassar pela direita e e enfiar-se nas filas a meio não faz dos idiotas pessoas espertas. Faz delas chicas espertas que deviam comer com um drone no alto da pinha assim que acabam de estacionar. Porque os e as idiotas geram filas desnecessárias e dificultam a vida de quem tem de ir trabalhar.

 

3. A estrada não é igual quando chove e quando está sol. Por isso era interessante que não fizessem a merda habitual dos dias de sol nos dias de chuva. Pelo menos ter essa atenção. Ou seja, se é para serem pacóvios que o sejam só com sol. O que faria dos caros condutores idiotas, uns possidónios de nível 1 em vez de energúmenos de nível 2.

Porque esta condução irresponsável faz com que se esbardalhem contra os outros. Lixam a vida a esses e deterioram a vida de quem tem de ir trabalhar.

 

4. Seria um regalo ver alguma distancia de segurança. É suposto deixar espaço entre os carros, sabiam? É uma espécie de respeito de espaço interpessoal mas para popós. Porque quando não deixam esse espaço tendem a espetar pantufadas no pandeiro dos carros dos outros. Depois é preciso chamar a bófia. Apurar o responsável e, até que isso fique terminado já deram cabo da vida de quem tem de ir trabalhar.

 

5. Caso não saibam, existem pessoas pagas e especialistas em orçamentar acidentes. Não é preciso que se abrande a avaliar o tamanho do estrago. Porque enquanto isso acontece os outros estão ali presos numa fila pirilau. Ou seja, os orçamentistas lúdicos, enquanto tiram medidas a olho, aferem culpados e conjeturam cenários, fodem a vida de quem tem de ir trabalhar.

 

E já que falamos de automobilistas vamos aos moçoilos das motas:

1. A estrada não e vossa. Ponto.

2. Não têm de ter complacências porque só têm duas rodas. Foi uma escolha vossa. Os outros não têm nada que ver com isso.

3. Não há um código da estrada à parte para motas, mesmo que vocês achem que sim e o queiram impôr.

4. A auto estrada só tem 3 faixas e quando vocês passam na nesga entre a faixa do meio e a da esquerda não se criou outra faixa lilás, com destino ao firmamento, só porque vocês tem pressa.

5. Quando vocês se espetam como prospetos contra os carros lixam a vida dos outros que tem de ir trabalhar. Nos outros dias, fazem só com que os outros estejam fodidos com a vida o tempo todo e com vontade de vos arrear umas porradas, especialmente quando se põem a esbracejar porque os carros têm de estar sempre encostados às bermas para vocês terem acesso à tal faixa lilás que só vocês conhecem.

 

De momento é tudo, resto de bom dia.

 

Com os melhores cumprimentos,

Uma condutora passada dos cornos e com os nervos em frangalhos.

 

(Este maravilhoso espaço de entretenimento tem conta no facebook e também arreia texto e imagem no Instagram. Ainda não segues?  Shame on you...)

  • 4 comentários

    Comentar post