Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Blog Bestialmente Conhecido

Dia internacional do cheira-cús

Qualquer pessoa que tenha carta há quaisquer 15 dias já sabe o que é um cheira-cús.

Trata-se de uma estirpe de condutor que prossegue o seu caminho sempre alapado à traseira do nosso carro. Pode ser porque o nosso carro tem uma bagageira tremendamente sensual, mas pode também ser porque são pessoas absurdamente parvas que acham que se forem ali bem juntinhas, espetam fartas no sistema nervoso do condutor que vai à frente e o pressionam a fazer uma de duas coisas: andar mais depressa ou sair da frente.

O condutor cheira-cús é uma espécie de atrelado sem ligação física. Não é preciso cabos para o prender a nós, ele segue com destreza no nosso encalço. Porventura porque aproveita o túnel de vento que criamos com a nossa passagem, e assim desgasta menos o cromado do seu potente Ford Fiesta rebaixado-com-tubo-de-escape-do-tamanho-de-uma-bazuca.

Mas não são só os kitados que são uns afaga-nalgas do trânsito. Há malta que parece assim até que vai cumprir com o código da estrada e odespois, pumbas!, quando olhamos para o espelho, qual elemento da Mossad qual quê, estão ali, tão rentes que nos fazem apitar os sensores de estacionamento.

Se calhar é por contas disso, querem derreter-nos os sensores de estacionamento, por isso se põem tão perto.

Dão-se depois aqueles momentos em que conseguem, derretem os sensores e metem a bagageira pa dentro.

Hoje a caminho do trabalho apanhei dois. Um cheira-cús a seguir ao outro, por isso palpita-me que deve ser o dia Internacional deste animal e eles andam a comemorar.

 

  • 8 comentários

    Comentar post